Notícias

NOTA

Qual a intenção da UFS em estimular “investimentos” durante a pandemia?

Data de Publicação: 06/07/2020

Esta semana fomos surpreendidos pelo convite feito aos trabalhadores e trabalhadoras da UFS para participar de um encontro promovido pela Pró-reitoria de Gestão de Pessoas (Progep) cujo tema é um contrassenso diante da tragédia provocada pela pandemia. Em meio a mais de 60 mil mortos no Brasil e mais de 700 em Sergipe, o programa que se intitula “servidor cidadão” propõe a temática “investimentos em época de pandemia: quais as melhores opções”. Do nosso ponto de vista, é uma incoerência e um ataque frontal às vítimas e contaminados pela COVID19.

É uma contradição porque a proposta caminha na contramão do esforço de vários pesquisadores, grupos de pesquisa e trabalhadores dos hospitais universitários que estão na linha de frente do combate ao Novo Coronavírus no nosso estado. Ao invés de direcionar a capacitação do funcionalismo para o desenvolvimento das suas qualidades técnicas no sentido de fortalecer e melhorar os serviços prestados pela Universidade ou para estratégias de enfrentamento do atual momento na área da saúde física e mental. É triste ver que, assim como o Governo Bolsonaro, a gestão da UFS insiste que devemos pensar no que investir.

O papel da Universidade é produzir conhecimento e pensar formas de melhorar o funcionamento da sociedade e das condições de vida da população. O papel do servidor público é estar a serviço da população através da prestação de serviços das nossas instituições. Não é aprender a fazer investimentos privados no capital especulativo, que reforçam o sistema de exploração do trabalho e reproduz ainda mais desigualdade. A UFS é para servir ao povo e seus trabalhadores devem ser capacitados para este fim.

Depois de retirar o direito da comunidade em ser consultada sobre a nova direção para Reitoria, a atual gestão avança nas suas contradições revelando que está disposta a agradar a Deus e ao Diabo para se manter no poder.

Em respeito às vítimas da pandemia e a nossa qualidade de servidor público que trabalha em plena pandemia, solicitamos o bom senso da gestão em retirar essa atividade da sua programação da nossa Universidade.

São Cristóvão, 06 de julho de 2020.

Coordenação Executiva do Sintufs

Gestão “Somos A Resistência – A Luta Continua” ( 2019-2020)