Notícias

ASSEMBLEIA

TAEs decidem deliberar Greve dia 17 e intensificar mobilização da base

Data de Publicação: 10/11/2017

"A greve é inevitável, mas precisamos compreender qual o melhor momento estratégico para a deflagração". Foi com essa premissa em mente, repetida em diversas falas na Assembleia dos TAEs na manhã de sexta, dia 10, que a categoria decidiu por unanimidade recolocar o Indicativo de Greve para a próxima sexta, dia 17. A nova data dará mais tempo para que o Comando de Mobilização intensifique ainda mais a agitação da base para uma greve forte.

"Nossa mobilização deve ser amadurecida e unificada, pois uma vez que o governo possui em suas mãos a máquina pública, o judicário e a repressão policial, precisamos aumentar nosso poder de mobilização e manter não apenas os técnicos da UFS, mas toda a sociedade informada e em estado de agitação", apontou Wagner Vieira, coordenador de comunicação do Sindicato. 

Sua fala é complementada pelo coordenador geral do SINTUFS, Fábio dos Santos, que resgata a onda de ataque aos direitos dos trabalhadores e do funcionalismo, mais especificamente, como motivos suficientes para uma greve. "O governo se movimenta com projetos ou decretos, como o Plano de Demissão Voluntária, redução da jornada com perdas salariais - o que afeta nossa luta pela jornada flexibilizada na UFS -, aumento da alíquota de arrecadação do INSS de 11% para 14%, fim da estabilidade, reforma trabalhista e lei da terceirização, além da reforma da previdência", enumera. 

Diante desses ataques e compreendendo a importância de fortalecer o diálogo com a base, com a comunidade acadêmica e com outros segmentos para buscar uma greve unificada da educação federal, a única ressalva a essa data refere-se à intenção do governo federal de alterar o Plano de Carreira dos Cargos Técnico-Administrativos em Educação (PCCTAE). "Havendo qualquer Medida Provisória do Governo Federal, já devemos nos preparar para, na manhã seguinte, nos reunirmos em Assembleia imediatamente para deflagração da Greve", destacou Fábio dos Santos, Coordenador Geral do SINTUFS.

Durante toda a semana que antecede a Assembleia de sexta, cujo horário e local serão divulgados em breve nos meios de comunicação do Sintufs, o Comando de Mobilização já formado e incrementado após a Assembleia dessa manhã irá se dividir em escalas para passagens nos setores da UFS em todos os campi da instituição. A intenção é que o fortalecimento da greve, possível a partir do diálogo com a base, propicie avanços na luta dos trabalhadores e consiga barrar o brutal avanço da agenda neoliberal que retira direitos duramente conquistados, o que só será possível com a adesão massiva dos trabalhadores no movimento paredista.