Notícias

ASSEMBLEIA

TAEs se reunirão na sexta, dia 1, para deliberar adesão à Greve Geral Nacional

Data de Publicação: 29/11/2017

Na manhã de sexta, dia 1°, a partir das 8h30, no auditório da Didática V no campus São Cristóvão, os TAEs da UFS irão deliberar sobre a adesão à Greve Nacional convocada pelas centrais sindicais e reforçada pela Fasubra Sindical para o dia 5 de dezembro. A atividade tem por objetivo fazer uma grande pressão social contra o ilegítimo governo Temer e contra o Congresso Nacional para barrar a reforma da previdência, além de reunir forças para recuperar os direitos atacados revogando a reforma trabalhista e a lei da terceirização, a Emenda Constitucional (EC) 95 e outras medidas que representam grande retrocesso para os trabalhadores. A adesão e participação ativa de todas e todos, portanto, é fundamental! É preciso somar formas nesse momento, ir às ruas e às atividades propostas pelo Comando de Mobilização e pelo Sintufs para que a amplitude e força desse movimento consiga fazer frente às nefastas intenções e negociatas dos que se dizem donos do poder.

Os TAEs da UFS estão em Estado de Greve, momento em que há mobilização e agitação da categoria para fortalecer o movimento paredista contra os ataques aos trabalhadores e à carreira dos técnicos. Com a Fasubra convocando uma greve nacional da categoria, que vai ganhando cada vez mais adesão nos estados, a tendência é a intensificação do diálogo com demais categorias para uma greve unificada dos trabalhadores num movimento que irá ganhar novo impulso com a convocação da centrais sindicais.

POR QUE ESTAMOS EM ESTADO DE GREVE DE DESDE O DIA 26 DE OUTUBRO?

  • Pela revogação da Emenda Constitucional 95 que congela por 20 anos os recursos das políticas públicas de Educação, Saúde e Assistência Social no Brasil! Não vamos deixar privatizar!
  • Contra o corte de R$ 4,3 bilhões da educação pública desde o início de 2017!
  • Pela revogação da Reforma Trabalhista que acaba com o direito a férias, salário mínimo, seguro-desemprego e os direitos garantidos na CLT!
  • Pela revogação da lei de terceirização, cujo relator foi o Deputado Federal Sergipano Laércio Oliveira, e permite a contratação de técnicos e professores através de empresas terceirizadas!
  • Contra o corte de mais de 50% dos recursos das universidades em 2017, feito pelo ilegítimo Governo Temer, arriscando a sobrevivência da UFS!
  • Contra o ataque ao Plano de Carreiras dos Técnicos Administrativos em Educação das Universidades e Institutos Federais! Nenhum Direito a Menos!
  • Contra o aumento do desconto na aposentadoria de 11% para 14% dos servidores públicos!
  • Contra os Programas de Demissão Voluntária (PDV) dos servidores públicos e o fechamento de empresas e órgãos públicos!
  • Contra a cobrança de mensalidade nas universidades públicas e institutos federais!
  • Contra a transformação das Universidades Federais em organizações sociais!
  • Contra o Fim da estabilidade dos servidores públicos proposta pela senadora sergipana Maria do Carmo!
  • Contra a aprovação da Reforma da Previdência que acaba com o direito de aposentadoria dos trabalhadores brasileiros! Não vamos deixar passar! Aposentadoria fica, Temer sai!