Notícias

MOBILIZAÇÃO

TAEs mantêm luta pela Previdência e irão aderir à Paralisação na segunda, 18

Data de Publicação: 11/12/2017

Os Trabalhadores Técnico-administrativos da UFS, reunidos em assembleia na manhã de segunda, dia 11, reforçaram o Estado de Greve e a Mobilização Permanente contra a reforma da previdência após intenso movimento proporcionado pela paralisação na última semana. Compreendendo que o recuo do governo ao retirar a medida da pauta do Congresso Nacional foi fruto da pressão popular, a categoria compreende que é preciso intensificar a luta uma vez que o governo se reagrupa e se rearticula com força para angariar os 308 votos necessários e, assim, garantir placar favorável à reforma ainda em 2017.

Diante disso, os TAEs deliberaram pela adesão à Paralisação convocada pelas centrais sindicais para o dia 18/12, podendo ser estendida também para o dia 19 a depender do empenho do governo ilegítimo em colocar a reforma da previdência em votação ainda esse ano. O Comando de Mobilização também irá realizar uma visita aos setores em todos os campi da UFS na quarta, dia 13, para mobilizar os TAEs e realizar uma enquete sobre a reforma da previdência e o quanto ela irá afetar os trabalhadores.

Acompanhando a agenda de mobilização unificada entre demais entidades e as centrais sindicais, haverá ainda um ato na quinta, dia 15, no centro de Aracaju, cuja programação ainda será definida e logo em seguida divulgada nos meios de comunicação do Sintufs.

POR QUE ESTAMOS EM ESTADO DE GREVE DE DESDE O DIA 26 DE OUTUBRO?

  • Pela revogação da Emenda Constitucional 95 que congela por 20 anos os recursos das políticas públicas de Educação, Saúde e Assistência Social no Brasil! Não vamos deixar privatizar!
  • Contra o corte de R$ 4,3 bilhões da educação pública desde o início de 2017!
  • Pela revogação da Reforma Trabalhista que acaba com o direito a férias, salário mínimo, seguro-desemprego e os direitos garantidos na CLT!
  • Pela revogação da lei de terceirização, cujo relator foi o Deputado Federal Sergipano Laércio Oliveira, e permite a contratação de técnicos e professores através de empresas terceirizadas!
  • Contra o corte de mais de 50% dos recursos das universidades em 2017, feito pelo ilegítimo Governo Temer, arriscando a sobrevivência da UFS!
  • Contra o ataque ao Plano de Carreiras dos Técnicos Administrativos em Educação das Universidades e Institutos Federais! Nenhum Direito a Menos!
  • Contra o aumento do desconto na aposentadoria de 11% para 14% dos servidores públicos!
  • Contra os Programas de Demissão Voluntária (PDV) dos servidores públicos e o fechamento de empresas e órgãos públicos!
  • Contra a cobrança de mensalidade nas universidades públicas e institutos federais!
  • Contra a transformação das Universidades Federais em organizações sociais!
  • Contra o Fim da estabilidade dos servidores públicos proposta pela senadora sergipana Maria do Carmo!
  • Contra a aprovação da Reforma da Previdência que acaba com o direito de aposentadoria dos trabalhadores brasileiros! Não vamos deixar passar! Aposentadoria fica, Temer sai!