Notícias

CONGRESSO DO SINTUFS

VIII CONSINTUFS reafirma unidade contra ataques ao serviço público

Data de Publicação: 01/10/2018

Um congresso, três dias, 25 horas de debates, estudos, planejamento e mobilização. Entre os dias 26 a 28 de setembro, o VIII Congresso dos Trabalhadores Técnico-administrativos da Universidade Federal de Sergipe ratificou a necessidade de unidade entre todos os trabalhadores representados pelo sindicato – RJU, terceirizados, funcionários da Ebserh, aposentados e pensionistas – como de todo o serviço público federal contra a retirada de direitos, as reformas e ataques de setores conservadores. Da unidade vai brotar a resistência.

Em três dias de intensa reflexão sobre a universidade pública brasileira, os 27 delegados eleitos em 14 reuniões setoriais, observadores e convidados puderam aprofundar suas leituras sobre os 50 anos da UFS e suas heranças da ditadura civil-militar, seu histórico de lutas, a situação do Hospital Universitário e o embate em torno da Ebserh. O congresso também discorreu sobre a natureza arrasadora da Reforma Trabalhista, a PEC do Teto de Gastos, a ameaça que a Reforma da Previdência  representa, o avanço da Instrução Normativa 02/2018, os desafios para a manutenção do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos servidores (PCCTAE) e a eminência da aplicação do Tele Trabalho – modalidade de serviço semipresencial – prevista na Instrução Normativa 01/2018 do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Luta contra as opressões e acessibilidade

Na manhã de sexta-feira (28) as mesas temáticas debateram e encaminharam ações para a população LGBT, o fortalecimento da luta das mulheres da categoria, a agenda de negros e negras contra o racismo institucional e no fortalecimento das cotas raciais nas instituições públicas. Fortalecimento de nome social das pessoas Trans na universidade, campanhas de combate à violência, ao assédio e ao feminicídio, reconhecimento dos aposentados e pensionistas são pontos de destaque que serão encaminhados ao plano de lutas da categoria.

Logo após as plenárias temáticas, a jornalista Jessica Vieira e o tradutor de Braille Edvaldo Serafim, servidores e colegas do Sintufs, discorreram sobre os conflitos e necessidades das Pessoas Com Deficiência (PCD) no espaço acadêmico. Ausência e desrespeito ao piso tátil nas dependências da instituição, falta de acolhimento aos PCD´s, desrespeito aos banheiros exclusivos de para cadeirantes e ausência de ações de acessibilidade foram relatados por Jéssica e Edvaldo. Ao final  do relato foi redigido e lido um manifesto dos PCD´s, além do compromisso da coordenação executiva do Sintufs na reestruturação completa da sede social do sindicato, a fim de garantir a acessibilidade dos PCD´s e aposentados da categoria.

Mudanças no estatuto ratificam democracia e paridade na gestão

A plenária de alterações estatutárias do Sintufs ocorreu na tarde da sexta-feira (28). Pontos importantes como a garantir de paridade na indicação de um homem e uma mulher na coordenação geral da categoria, o reforço ao caráter classista do sindicato e sua amplitude para todos os setores da categoria, sua diversidade e especificidade, o prazo de dois anos de gestão e mecanismos de fiscalização e participação ampliada. O plano de lutas dos servidores técnico-administrativos será discutido, votado e aprovado em assembleia da categoria, cuja convocação está prevista para os próximos 30 dias.