Notícias

ATO PÚBLICO

A gente não quer só comida

Data de Publicação: 27/02/2019

“Banquetaço” exige retorno do Conselho Nacional de Segurança Alimentar

Sol a pino, microfone ligado e prato vazio: brigaremos por nossos direitos até a última garfada. A Praça Fausto Cardoso recebeu o “Banquetaço” na manhã ensolarada de quarta-feira (27), para denunciar o fim do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEAN), através da Medida Provisória 870 editada pelo Governo Bolsonaro. A atividade é parte do calendário nacional organizado pelos Conselhos Estaduais de Segurança Alimentar, além de uma série de entidades que trabalham com a promoção do Direito Humano à Alimentação.

Conselhos de classe, sindicatos, mandatos populares, movimentos sociais e coletivos de juventude se espremeram sob o toldo da atividade que contou com esquete do grupo de teatro “Raízes Nordestinas”. Criado no ano de 1993, o CONSEAN foi responsável pela formulação da Política Nacional de Segurança Alimentar que, dentre outras ações, foi responsável por retirar o Brasil do Mapa da Fome no ano de 2014.

Diferente dos demais atos ocorridos nas capitais brasileiras, o Banquetaço Sergipe não distribuiu refeições, tendo em vista que o objetivo da ação consistiu em sensibilizar a população para o risco de ausência de alimento digno e de qualidade para o conjunto da população. “ A gente poderia fazer um “banquetaço” convencional, mas a gente não quer só comida. A gente quer ar as pessoas sobre o nosso alimento que pode faltar amanhã”, ou o representante do Conselho Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional.

 

 

 

SEGURANÇA ALIMENTAR, CONSEAN E FAFEN

O termo "Segurança Alimentar" passou a ser utilizado após o fim da Primeira Guerra Mundial, quando foi possível entender que um país poderia exercer domínio sobre outro controlando seu fornecimento de alimentos. A alimentação seria, assim, uma arma poderosa, principalmente se aplicada contra um país que não tivesse a capacidade de produzir seus alimentos por conta própria e/ou suficientemente. Segurança alimentar é, portanto, segurança nacional.

De caráter consultivo e contendo 70% de representação da sociedade civil, cabe ao CONSEAN a destinação de uma série de políticas públicas para garantir a produção , distribuição e abastecimento de alimentos de qualidade, sobretudo as cadeias que envolvem a agricultura familiar e camponesa.

Posta em hibernação em 31 de janeiro de 2019, a Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN-SE) é responsável pela produção de um insumo fundamental na produção de alimentos: fertilizante e ureia. Para o coordenador geral do Sintufs, Wagner Vieira, o fim do CONSEAN e a hibernação fazem parte do mesmo projeto de ataque à soberania nacional orquestrado pelo Governo Bolsonaro. “Este governo não vai acabar com o CONSEAN e hibernar a FAFEN assim tão fácil não, vai ter resistência e vai ter muita luta. Já avançamos no sentido de reverter a hibernação da FAFEN na audiência pública de segunda-feira (25), precisamos derrubar esta Medida Provisória”, ressaltou.

Acompanhe as imagens completas da manifestação pela Fan Page do Sintufs no Facebook.