Notícias

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Debatendo a Previdência no Campus do Sertão

Data de Publicação: 04/06/2019

O carro da Coordenação Executiva do Sintufs estacionou no prédio administrativo do Campus de Nossa Senhora da Glória, o Campus do Sertão, exatamente às 8 horas e 59 minutos. Um minuto de vantagem não mata ninguém.

O auditório do Campus acolheu dezenas de servidores e servidoras para a palestra anunciada. A professora Sônia Meire, convidada para mediar o espaço, fez um breve esboço da política de Seguridade Social brasileira, o peso no orçamento, a sanha da PEC 06/2019 e a proposta de retirada do teto de direitos do governo Bolsonaro.

A plateia participou ativamente do espaço, transformando a palestra numa grande roda de conversa com interação direta, dúvidas e esclarecimentos acerca do caráter das privatizações, das políticas de desmonte do Estado brasileiro e o papel dos trabalhadores da Educação na resistência pela garantia de direitos e liberdades democráticas.

Logo após a realização da roda de conversa, a professora Sônia Meire e o coordenador geral do Sintufs, Wagner Vieira, concederam entrevista na Rádio Xodó FM, 88.5. Eles aproveitaram o espaço para explicitar pontos críticos da proposta da Reforma da Previdência,  como a diminuição e congelamento do BPC, mudança na Aposentadoria Rural, a desconstitucionalização da pasta e a criação dos fundos de capitalização.

Eles aproveitaram o espaço para engrossar o chamado à Greve Geral Nacional, convocada pelas centrais sindicais e frentes de mobilização para o dia 14 de junho. “Não podemos ter a ilusão que podemos reformar a proposta do governo por dentro, precisamos derrubar a proposta nas ruas, para isso convidamos toda a população para a Greve Geral, só a mobilização nas ruas pode garantir a nossa Previdência”, reforçou Sônia.