Notícias

PRESTAÇÃO DE CONTAS

TAEs da UFS aprovam por unanimidade atividades do Sintufs do ano de 2017

Data de Publicação: 04/05/2018

As atividades políticas, financeiras, jurídicas e administrativas do Sintufs no ano de 2017 foram aprovadas por unanimidade pelos trabalhadores da UFS em Assembleia Geral Ordinária realizada na sexta, dia 4. Durante toda a manhã, foi detalhado à base como foram empenhados os recursos financeiros e os esforços da Coordenação Executiva na defesa dos direitos da classe trabalhadora.

"Foi uma conjuntura difícil, em meio ao ilegítimo governo Temer e com ataques incessantes aos direitos. Na UFS, também enfrentamos retrocessos, como a estagnação das pautas em torno das 30 horas (flexibilização da jornada) e do ponto biométrico", explica a coordenadora geral do Sindicato, Bryanne Araújo, sobre o primeiro ano da gestão "A Luta Continua - Nenhum Direito a Menos". Esse contexto de forma alguma impediu que o Sintufs se mantesse ativo no enfrentamento a essas questões, fazendo com que as atividades fossem igualmente constantes e pautadas na exata medida da resistência que os ataques requisitavam.

Uma dessas formas de resistir aos ataques foi na cobrança de democracia - empoderamento do povo trabalhador dentro e fora da universidade. Como destaca o coordenador geral, Fábio dos Santos, trata-se de um momento de mudanças administrativas que começaram justamente com um modelo democrático para a gestão da entidade. "Esse foi o primeiro ano após a mudança estatutária em que foi aplicado o modelo de coordenações em substituição ao modelo anterior de direção, de caráter presidencialista. Todas as nossas decisões são tomadas através do colegiado formado pela Coordenação Executiva ouvindo a base e esse modelo é o que queremos para a UFS e para o Brasil. Hoje a reitoria acha que a administração da universidade cabe somente a ela, mas enquanto resultado de uma política pública sua gestão também deve ser publicizada", defende.

Várias ações foram citadas pela Coordenação Executiva, como a participação das mobilizações intituladas como Greve Geral nos dias 28 de Abril, 30 de Junho e 5 de Dezembro; a coletiva de imprensa e mobilização feita na UFS para publicizar a falta de recursos  na UFS com ameaça de fechamento da instituição; a articulação em defesa dos trabalhadores celetistas terceirizados e da EBSERH, bem como RJU do Hospital Universitário, entre atos por melhorias nas condições de trabalho e contra o machismo na instituição; campanha contra o assédio moral e sexual na universidade, inclusive lançando a Ouvidoria do Sintufs para averiguar denúncias e levá-las à administração da instituição; a realização da Semana de Luta contra a violência à Mulher, atuação no processo dos 3,17%, dos laudos de insalubridade e dos EPIs no campo jurídico; participação de todas as atividades convocadas pela FASUBRA; entre tantas outras atividades devidamente documentadas no documento de balanço político.

Com as contas aprovadas, as atividades referendadas e o respaldo da base para dar continuidade ao trabalho, a gestão 'A Luta Continua - Nenhuma Direito a Menos' segue em 2018 com o empenho de organizar e mobilizar a categoria em torno das lutas relevantes dentro e fora da universidade. Os documentos para consulta da base serão fixados no campo TRANSPARÊNCIA no site do Sindicato tã logo seja lavrada a Ata da Assembleia Geral Ordinária dessa sexta.

DOCUMENTOS & GRÁFICOS
DEMONSTRATIVO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DE 2017

PARECER DO CONSELHO FISCAL

BALANÇO PATRIMONIAL 2017

BALANÇO POLÍTICO 2017